Resenha: Contra Todas as Probabilidades - Por Marcelo Segala

 
 
    Olá pessoal ! É com imensa alegria que estou iniciando meu trabalho como colunista desse blog. E na minha primeira postagem quero deixar com vocês uma resenha que tem tudo a ver com a data que se aproxima: o Dia dos Namorados.
    Quando a autora Renata Correa me enviou seu livro, ele veio com uma linda dedicatória que dizia, entre outras coisas, que esse era um "romance romântico". E também dizia que ela não tinha certeza se leitores homens gostavam desse estilo de livro. Pois, para mim, livro é como música. Topo ler qualquer estilo, contanto que me agrade. Costumo dizer que uma boa leitura é como tocar um instrumento musical. Quando você se dá conta, já se passaram horas e você ainda está ali se deliciando com as palavras do livro ou com as notas da canção. E por que estou falando tanto assim de música ? Porque esse é o pano de fundo do livro Contra Todas As Probabilidades, uma obra repleta de referências musicais nacionais e internacionais e que conta a improvável estória de amor entre Ana, uma jovem decoradora solitária e sonhadora, e Marcus, o mais novo ídolo musical do momento, vocalista de uma banda pop que acaba de vencer um reality show. Um livro que fala de encontros, desencontros, sensualidade e muito amor. É nítido o carinho com que Renata trata os protagonistas. Eu a conheço pouco mas me arrisco a dizer que Renata e Ana tem muitas coisas em comum, sendo uma o "alter ego" da outra. O livro possui algumas curiosidades interessantes como, por exemplo, o fato de Renata, em nenhum momento, citar o nome da cidade onde Ana reside. Isso faz com que Ana se transforme num símbolo nacional de mulheres românticas, sem se prender a sotaques ou costumes de um único Estado ou região. Outra curiosidade é que o livro é narrado em primeira pessoa pela Ana. Entretanto, em alguns capítulos, Marcus também assume esse papel de narrador. Também é nítido que Renata se inspirou no ex-vocalista da banda Malta, Bruno Boncini, para compor o personagem Marcus. Podemos ver muitas características físicas, como até o tom da voz, semelhantes entre eles. É um livro cativante, de leitura gostosa e com um final que nos faz lembrar o filme Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, mostrando que a essência do verdadeiro amor está eternamente guardada dentro do coração.



Um comentário:


  1. Seja bem-vindo Marcelo, parabéns sua resenha ficou muita Boa. Conheço a autora mas não li esse livro ainda.

    ResponderExcluir